Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

whatsapp-image-2019-08-13-at-09-18-54
No comando: Inscrição para o debate “Comunicação, democracia e desigualdade social”.

Das 17h às

Flávia Regina
No comando: Jornal da Tambor

Das 11:00 às 12:00

São Luís recebe Jornada Internacional de Políticas Públicas

Compartilhe:
img-20190819-wa0152

Por Giovana Kury

Foram 1100 inscritos na IX Jornada Internacional de Políticas Públicas (JOINPP), que está marcada para acontecer a partir desta terça-feira (19) na Universidade Federal do Maranhão (UFMA), em São Luís do Maranhão. O evento acontece desde 2003, mas o deste ano deve ser o maior de todos, com quase mil trabalhos enviados – três vezes o número de quando iniciou.

Apesar de as inscrições para a jornada estarem encerradas, os minicursos ainda têm vagas e interessados podem participar do evento como ouvintes. A abertura acontecerá às 9h da terça, com a palestra “Civilização ou barbárie: o futuro da humanidade”. A programação será transmitida ao vivo via Facebook.

O enfoque do evento é a articulação de pesquisadores de todo o mundo sobre a realidade contemporânea. Segundo afirmaram em entrevista à Rádio Tambor na manhã desta segunda-feira (19) as professoras de Políticas Públicas da UFMA Cristiana Lima e Maria do Socorro, que estão na organização da jornada, o evento tem caráter de resistência quando inserido no atual contexto político e social do Brasil e do mundo.

“O momento que estamos vivendo no Brasil é de perseguição. Então, as Universidades são um espaço crítico”, explica Cristiana. De acordo com Maria Socorro, o contexto atual “se trata de um acirramento da luta de classes”, e a realização da jornada se traduz como uma “estratégia política” para o fortalecimento da classe trabalhadora.

Um dos assuntos que serão discutidos na jornada é o programa Future-se, apresentado em julho pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. Uma das propostas é que cada curso universitário busque por seu próprio financiamento na área privada.

“O projeto de lei não se trata de Educação”, afirma Cristiana. Segundo a professora, o Future-se é uma tentativa do Governo de transformar universidades públicas brasileiras em espaços de empreendedorismo. Ela diz que, com esta nova forma de financiamento, os cursos de Ciências Humanas podem não conseguir se sustentar: “que empresa vai ter interesse em financiar, por exemplo, uma jornada que vem trazer uma reflexão sobre temáticas da nossa realidade?”

Deixe seu comentário: