Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

whatsapp-image-2019-08-13-at-09-18-54
No comando: Inscrição para o debate “Comunicação, democracia e desigualdade social”.

Das 17h às

Flávia Regina
No comando: Jornal da Tambor

Das 11:00 às 12:00

Professores contestam Flávio Dino

Compartilhe:
whatsapp-image-2020-02-03-at-18-57-29

Da Agência Tambor
Por Danielle Louise 
05/02/2020

Na foto o professor Marcelo Pinto do MRP

No início dessa semana, o governador Flávio Dino divulgou o aumento do piso salarial para professores da rede estadual, no valor de R$ 6.358,96, representando 17,49% de reajuste. Para falar sobre o tema os professores Marcelo Pinto e Antonisio Furtado, integrantes do Movimento de Resistência dos Professores, conversaram com o jornalista Emílio Azevedo, no Radiojornal Tambor desta terça-feira (4).

Segundo eles, o aumento relatado pelo governador, não traduz a realidade dos professores estaduais. De acordo com dados apresentados pelos entrevistados, o número de educadores que receberão esse reajuste salarial, representa apenas 1,7% do total da rede de profissionais da educação no Maranhão. 

Eles relataram também que 80% desses profissionais receberão reajuste salarial de apenas 5%. Marcelo Pinto denunciou que esse valor está abaixo do reajuste salarial de 12,84%, para este ano, previsto em lei. “Vários municípios já estão ajustando os salários dos professores com esse valor determinado, de 12,84%. Agora o Estado só quer pagar 5%”, disse o professor. 

Além disso, eles também destacaram o fato de o governo estadual não permitir, em 2019, a progressão de 16 mil professores. E isto também ameaça a aposentadoria de diversas professoras que já possuem idade e tempo de contribuição e não conseguem aposentar pois podem receber um valor inferior ao que têm direito. “Só queremos que o governador cumpra a lei”, destacou Marcelo. 

Os professores também ressaltaram que o governo de Flávio Dino apenas acompanha a política educacional precária que já era uma realidade nos governos anteriores, citando Lobão, Roseana, José Reinaldo e Jackson. De acordo com eles, além de não reajustar o piso salarial de forma correta, o governo estadual também manipula informações para indicar que a educação no Maranhão tem melhorado. “A realidade da educação no Maranhão não mudou”, ponderou o professor Marcelo. 

A Agência Tambor irá procurar representantes do governo estadual e também do Sindicato dos Professores para ouvir esclarecimentos sobre os fatos relatados. E se for o caso, trará novamente para o debate os professores Movimento de Resistência para tratar do assunto. A valorização do professor é tema fundamental para nós!

Confira o bate-papo completo em nosso TamborCast:

Deixe seu comentário: