Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

whatsapp-image-2019-08-13-at-09-18-54
No comando: Inscrição para o debate “Comunicação, democracia e desigualdade social”.

Das 17h às

Flávia Regina
No comando: Jornal da Tambor

Das 11:00 às 12:00

Necropolítica e violência urbana no Brasil

Compartilhe:
design-sem-nome

Da Agência Tambor
Por Danielle Louise
19/10/2020

Charge do Duke

O historiador, Luiz Eduardo Lopes Silva, participou do Radiojornal Tambor, desta segunda-feira (19) e conversou sobre a estrutura que promove a violência urbana no Brasil, e em especial à cidade de São Luís.

Ele destacou que os estudos sobre a criminalidade avançam a cada dia e há diversos teóricos que debatem sobre o tema. Em contrapartida, as transformações para contê-la dependem de forças políticas que ainda se beneficiam da forma atual de segurança no país. Este fator dificulta a implementação de soluções.

Luiz Eduardo também apontou que para conter a violência urbana é necessário extinguir a guerra às drogas, frear o processo de encarceramento em massa de jovens, negros, pobres, repensando toda a sociedade.

“O aparato penal brasileiro é o centro da administração de uma violenta luta de classe que se impõe no Brasil”, evidenciou.

Além disso, o historiador ressaltou como a necropolítica é uma prática constante nos governos brasileiros. No entanto, com Jair Bolsonaro, as medidas repressivas ganharam o centro da política pública.

“A necropolítica não é uma novidade, mas a centralidade que ela está ganhando é algo singular deste governo (federal)”, explicou Luiz Eduardo.

Para ele a esquerda tem dificuldade de criar uma agenda na área de segurança pública que seja verdadeiramente de esquerda e continua apostando nas mesmas medidas fracassadas de segurança, já existentes, e promovidas por governos de direita.

Ouça a entrevista completa do historiador em nosso TamborCast.

https://open.spotify.com/episode/0LxpJpjrLxaXSIOS2qJOTR?si=5A-o9ChwTki_HnW988b9bA&utm_source=whatsapp

Deixe seu comentário: