Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

whatsapp-image-2019-08-13-at-09-18-54
No comando: Inscrição para o debate “Comunicação, democracia e desigualdade social”.

Das 17h às

Flávia Regina
No comando: Jornal da Tambor

Das 11:00 às 12:00

Maranhão: camponeses relatam que grileiros incendiaram 36 residências

Compartilhe:
whatsapp-image-2019-10-04-at-11-05-06

Via: Agência Tambor

Durante uma reunião com a Comissão Pastoral da Terra na última quinta-feira (3), camponeses da comunidade de Jaqueira – próximo a Codó, no interior do Maranhão – relataram que um grupo de grileiros adentrou o território e incendiou 36 residências, duas casas de farinha e outros pertences, além de disparar tiros.

Segundo os relatos, a situação ocorreu em 13 e 15 agosto de 2019. O três homens teriam chegado ao local, ameaçado moradores, queimado as casas, 100 sacas de farinha e um paiol de arroz. A Polícia Militar foi chamada e chegou a trocar tiros contra os invasores, que conseguiram se esconder no mato. Um idoso de 66 anos que estava em uma capoeira, Sr. Gino, passou mal com os tiros e foi encaminhado a um hospital local, mas não resistiu e morreu dias depois.

Os três homens fazem parte do grupo Maratá, que clama ser o dono do território. Os camponeses explicam que a área faz parte do espólio de Sr. Zeca Tomé, onde trabalham 200 famílias e outras moram há cerca de 15 anos; e que o ocorrido em agosto foi apenas a consolidação da ameaça que sofriam do grupo desde março, quando começaram a sofrer as ameaças de expulsão.

Prisão dos grileiros

Na última quarta-feira (2), uma operação policial nos municípios de Timbiras e Coroatá prendeu quatro homens que faziam parte do grupo Maratá, além de armamentos e munições. Destes, três participaram da situação em Jaqueira.

Deixe seu comentário: